Utilização da inteligência artificial no combate ao terrorismo nacional

Janeiro 20, 2021

O extremismo violento e o terrorismo têm sido uma das maiores preocupações do público e do governo dos EUA há décadas.  Certos padrões e tendências de extremismo violento e terrorismo, como recrutamento de baixo para cima baseado na Internet e foco em alvos mais fáceis, aplicam-se tanto ao terrorismo patrocinado por estrangeiros quanto ao terrorismo em território nacional.  Uma tendência preocupante nos Estados Unidos é que atos políticos violentos são cometidos por cidadãos estadunidenses.

O recente ataque ao Capitólio dos EUA é a mais recente ação por parte de extremistas violentos locais. Os ativistas políticos de direita que invadiram o Capitólio sobrecarregaram as forças de segurança, mataram um policial e invadiram as instalações, causaram danos a propriedades do governo e aterrorizaram senadores, membros do Congresso e equipes. Aproximadamente 60 policiais do Capitólio ficaram feridos e quatro civis morreram.

É o trabalho da autoridade policial identificar quem foi o responsável pelo ataque ao Capitólio e levá-los à justiça. É trabalho das equipes de inteligência e de analistas desenvolver as melhores maneiras de impedir que um ataque como este aconteça novamente. O Departamento de Segurança Interna e outras agências policiais e de inteligência dos EUA estão comprometidos em evitar tais eventos no futuro.  Esse é um desafio assustador, que cresce em intensidade, frequência e complexidade.

É uma observação comum dentro da Comunidade de Inteligência que o inimigo na Guerra Fria era “fácil de encontrar, mas difícil de derrotar”. Na Guerra ao Terrorismo e ao extremismo violento, ela observa, o inimigo é “fácil de derrotar, mas difícil de encontrar”. É neste contexto que entra a tecnologia de inteligência artificial.

A tecnologia de IA pode ser a melhor ferramenta que as equipes policiais e de inteligência podem aplicar à descoberta, ao monitoramento, à interrupção e à prevenção do extremismo violento. O uso eficaz da IA pode ajudar os analistas a classificar grandes quantidades de dados não estruturados, a fim de encontrar os meios mais eficientes e automatizados de obter informações e insights cruciais para a identificação de agentes violentos e ajudar a interromper e impedir seus ataques.

Inteligência Artificial pode ajudar as autoridades ao vasculhar bilhões de comunicações e pontos de dados nas principais redes sociais, bem como na dark web e na deep web, quase em tempo real, para identificar os tópicos específicos que os extremistas estão usando para recrutar membros, angariar fundos, disseminar propaganda, espalhar desinformação e informações enganosas, organizar reuniões, distribuir armas e equipamentos e planejar ataques.

A Inteligência Artificial pode ajudar ainda mais a identificar a natureza do envolvimento individual, distinguindo se uma pessoa identificada é um líder extremista, um seguidor de base, um apoiador passivo, um recruta em potencial ou uma vítima que seja alvo de assédio ou violência.

À medida que o mundo se torna mais complexo e os agentes violentos incorporam tecnologias mais sofisticadas para coordenar atividades destrutivas mais amplas e impactantes, a IA se tornará cada vez mais importante no esforço de proteger o público.

Learn More >

Share this post